Colossenses: AULA 11– Cap. 3.12-17: Revesti-vos como eleitos de Deus

12 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

Comportar-se como alguém escolhido por Deus, com a consciência de que é alguém santo e também amado pelo Senhor. É a profunda consciência de que foi escolhido para ser santo.  Ternos afetos de misericórdia (corações compassivos), de bondade, humildade, mansidão e longanimidade significam virtudes sobrepostas, interligadas, em que uma leva à outra como elos de corrente. Coração compassivo = afeição profunda; bondade = benevolência; humildade = considerar o outro superior; mansidão = disposição de sofrer injúria ao invés de praticá-la; longanimidade = longo ânimo, uma paciência espichada.

13 Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;

Suportar = dar suporte e “também suportar”; perdão é o ato que torna a comunidade possível, tendo sempre como exemplo o Cristo. A vida em comunidade demanda muita paciência e é nela que somos moldados.

14 acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.

Amor = ágape = amor benevolente, invencível. Vínculo da perfeição pois nos une ao Senhor, e por consequência, uns aos outros. É também “a graça que nos liga a todas as outras graças”, a “virtude que torna possível todas as demais virtudes”.

15 Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos.

Árbitro em nossos corações = governo, guia. Paz = descanso e contentamento por viver em comunhão com Cristo. Em um só corpo = dimensão social desta paz que torna possível a vida comunitária. Ou seja, não se trata somente de uma dimensão individual. E isto tudo deve produzir corações agradecidos. Alguém com essa paz não se comporta como alguém em que as pessoas ao seu redor devam alguma coisa, pois seu coração descansa em Deus.


16 Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.

Habitar = na mente e no coração. Isso vem por meio da mútua instrução e aconselhamento em comunidade. O louvor é uma forma poderosa de instrução. Salmos = provavelmente o saltério; Hinos = canto de louvor direcionado ao Senhor; cânticos espirituais = há quem diga que tenha a ver com a lírica, ou cânticos inspirados. Talvez tal divisão não seja tão rígida. Ex: “Magnificat” (Lc 1.46-55), “Benedictus” (Lc 1.68-79); Apocalipse (5.9-10; 15.2-4).


17 E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.


Em palavra (tudo o que dissermos) e ação (todos os atos) significam que tudo deve ser feito “em conexão” com o nome de Jesus. Um teste interessante é: tudo o que digo e o que faço pode ser dado graças ao Senhor?

Postagens mais visitadas deste blog

Jesus, o nosso exemplo de humildade!

Santificado seja o teu nome

Murmuradores