AULA 6 – Cap. 2.1-10: Jesus exaltado acima de toda a filosofia


1 Gostaria, pois, que soubésseis quão grande luta venho mantendo por vós, pelos laodicenses e por quantos não me viram face a face;

De que luta estaria Paulo falando? E ele inclui também os laodicences e todos os que não o conheciam pessoalmente.

Certamente essa luta envolve bastante oração, conforme até aqui já vimos. Paulo também empreende seus esforços intelectuais, iluminados pela graça de Deus para prevenir todos os seus leitores das diversas filosofias que ameaçavam o evangelho.

Assim também, nós devemos empreender todo o nosso esforço em oração e no ensino para prevenir nossos irmãos dos diversos erros que se apresentam em nossos dias.

2 para que o coração deles seja confortado e vinculado juntamente em amor, e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo,

Para que o coração seja “confortado”, ou em outra tradução, “fortalecido”, e vinculado juntamente em amor. Embora Paulo tenha muito o que ensinar do ponto de vista doutrinário, seu foco é o coração de seus leitores e de todos quanto precisarem. O coração é o centro da vida das pessoas, segundo a concepção da época. É do coração que procedem as fontes de vida, de modo que, ganhar o coração equivale a ganhar a pessoa inteira. Isso mostra que o objetivo do evangelho não é buscar uma adesão exterior, provocada pelos mais diversos fatores, como o medo, a ambição, ou a culpa, mas sim uma transformação do coração, de dentro para fora. Somente pessoas com o coração fortalecido no evangelho poderão resistir contra os diversos ataques que o mundo oferece. Talvez não sejam as poucas vezes que alguém possa se sentir seduzido por alguma vã filosofia, por não conseguir talvez até mesmo refutar certas ideias. Mas se o coração desta pessoa estiver firmado em Cristo, ela não errará o caminho. O coração tem que estar vinculado a Cristo pelo amor, e também uns para com os outros.

e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento: Essa forte convicção do entendimento é considerada uma riqueza, por Paulo. O entendimento pleno do evangelho é considerado algo de muito valor. Os mestres gnósticos se julgavam detentores de um tipo de entendimento superior, mas para Paulo, isso é nada comparado ao conhecimento de Cristo. Nos dias atuais, muitos parecem desprezar um entendimento maior acerca de pessoa de Jesus, alicerçado nas Escrituras em troca de uma religiosidade um tanto quanto mais emocional. Paulo já havia falado acerca do coração anteriormente; agora escreve acerca do entendimento.

para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo: Mistério é algo que esteve oculto, mas foi revelado. O próprio Deus foi revelado em Cristo Jesus. Paulo deseja que seus leitores compreendam plenamente a Cristo, o que é um desafio e tanto.

3 em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos.

É em Cristo que estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Note o completo foco que Paulo coloca em Cristo, pois este é completamente suficiente. Os mestres gnósticos colocavam Cristo “e algo mais”. Deturpavam a pessoa de Cristo, e pregavam a necessidade de um tipo de conhecimento oculto. Paulo diz que é em Cristo que se encontra oculta a sabedoria e o conhecimento, e que se chega a isso por meio de Jesus.

A pessoa de Cristo é toda abrangente, pois envolve toda a sabedoria e conhecimento. É uma busca interminável, pois estamos falando daquele em que habita a plenitude de toda a divindade. Nada há de mais profundo que o ser humano possa buscar, que não seja conhecer a Cristo.

A sabedoria divina é muitas vezes enfatizadas nas Escrituras, notadamente na obra da criação (Sl 104.24; Pv 8.22; Jr 10.12). Sua sabedoria também é expressa na salvação (1 Co 1.22-25). Em Cristo, se uniram judeus e gentios (Ef 2.13-14), a justiça divina e sua misericórdia (Rm 3.19-24) .


4 Assim digo para que ninguém vos engane com raciocínios falazes.

Raciocínios falazes também pode ser traduzido por “argumentos persuasivos”. É preciso tomar cuidado para não se deixar enredar por raciocínios que nos afastem da pessoa de Jesus.

5 Pois, embora ausente quanto ao corpo, contudo, em espírito, estou convosco, alegrando-me e verificando a vossa boa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo.

Paulo demonstra total apoio aos colossenses, demonstrando que a comunhão do povo de Deus transcende a separação física. Esse versículo denota que, embora Paulo esteja advertindo a igreja para que tome cuidado com falsos ensinamentos, ele está contente com tal igreja, pois ela tem demonstrado fé em Cristo. Isso nos ensina que, mesmo se uma igreja parece estar indo bem, não podemos descuidar de dar o ensinamento correto acerca do evangelho.

6 Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nele,

Ou seja, Paulo une aqui coisas que não podem ser separadas. Fé e obras. Convicção e prática. Andar n’ele significa andar em comunhão com ele, demonstrando uma vida condizente com aquilo que se diz acreditar.

7 nele radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças.

Radicados/arraigados; edificados; confirmados; instruídos = todas essas ênfases denotam uma ideia de firmeza em Cristo.

Crescendo/Transbordando em ações de graças: um coração verdadeiramente grato! Algo a ver com um “oceano de gratidão”.

8 Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas (falsos enganos), conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo;

Filosofias e vãs sutilezas visavam a enredar/escravizar as pessoas, afastando-as de Cristo. Cada forma sistemática de conhecimento era chamada de filosofia, mesmo se tivesse conotação religiosa, como por exemplo, a “filosofia de Moisés”, dos fariseus, saduceus, essênios, etc. havia também aquelas decorrentes do mundo greco-romano, como os epicuristas, cínicos, estóicos, etc. Nesta epístola parece haver uma miscelânea de crenças sintetizadas em formas filosóficas de se entender o mundo espiritual, com práticas disformes em relação ao evangelho. Conforme continuaremos a ver. Mesmo em nossos tempos, há uma série de ideias sistematizadas que podem acabar por tirar a firme convicção em Cristo dos fiéis. Tudo isso é segundo a tradição dos homens, em não segundo Cristo. Não é incomum algum começar a colocar mais força e energia em um tipo de filosofia e deixar Cristo de lado.

9 porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.

Ou seja, divindade, deidade. Em Cristo habita a plenitude (pleroma) da divindade/deidade. Plenitude da divindade + corpo = divindade e humanidade de Cristo em uma única pessoa. Os falsos mestres ensinavam que a divindade estava fragmentada em diversos seres que faziam a intermediação entre os homens e um plano espiritual elevado. Paulo combate essa ideia, dizendo que a divindade não está fragmentada.

10 Também, nele, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade.

Ou seja, é em Cristo que somos transformados. Paulo aqui vincula aquilo que Cristo é e o que veio fazer, que foi nos aperfeiçoar. Principados e potestades não estão acima de Jesus, conforme ensinavam os falsos mestres. É justamente o contrário. 

Nestes versículos vemos então que o cristão deve estar plenamente arraigado ao conhecimento de Cristo, e não se deixar seduzir e afastar do evangelho do Senhor, notadamente no que se refere a um sistema de ideias e práticas que nos afastem do caminho da salvação.

Postagens mais visitadas deste blog

Jesus, o nosso exemplo de humildade!

Murmuradores

Santificado seja o teu nome