Buscando a perfeição em Cristo



Leitura: Filipenses 3.12-16

12 Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus.
13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,
14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
15 Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá.
16 Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos.

COMENTÁRIOS

12 Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus.
Esse versículo revela a humildade de Paulo, no sentido de afirmar que não chegou à perfeição.

Entretanto, tal constatação não o faz desanimar; pelo contrário, ele prossegue para atingir aquilo pelo qual ele foi conquistado pelo Senhor, que, entre outras coisas foi para ser apóstolo dos gentios. Hernandes Dias Lopes também informa também que tal passagem também revela o inconformismo de Paulo em permanecer do jeito que está.

13 Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão,
14 prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

Alguns dizem que essa repetição em dizer que ainda não alcançou a perfeição tenha a ver com o fato dos oponentes de Paulo (judaizantes) se julgarem perfeitos.
De qualquer modo, mesmo que o apóstolo confesse que não alcançou a perfeição, ele tem algumas atitudes que o fazem avançar, fazendo uma metáfora com a atitude de um atleta:

            - uma coisa faço: essa frase revela concentração. Ele não diz: faço várias coisas, inúmeras coisas. Ele diz: uma coisa faço. Quando alguém for disputar uma corrida precisa estar concentrado naquilo que está fazendo, caso queira vencer. É uma unidade de propósito. É um único objetivo na vida. Podemos ver nos ditos de Paulo a imagem de um corredor que quer vencer.

            - esquecendo-me das coisas que para trás ficam: um corredor tem que se esquecer dos obstáculos que deixou para trás e se concentrar no que está adiante de si. Se um corredor ficar olhando para trás, não terminará bem a corrida. São constantes as advertências na Palavra para não se olhar para trás. Jesus disse que quem lança mão do arado e olha para trás não é digno do reino (Lc 9.62). Nos mandou lembrarmos da mulher de Ló, que olhou para trás (Lc 17.32)

            - avançando para as que estão adiante: a ideia do verbo é a de um corredor empenhando toda sua força, sua musculatura, para corre o máximo que puder. Também tem a ideia de progressão. Um corredor não volta ao ponto de partida. Embora possa cair, tropeçar, ele continua do ponto em que parou. Assim também é na vida espiritual. Nós não voltamos ao ponto de partida. Há determinadas experiências que não iremos mais vivenciar, como o novo nascimento. Entretanto, podemos e devemos progredir cada vez mais nessa corrida.

            - prossegue para o alvo: um corredor prossegue para o alvo, que é cruzar a linha de chegada. Uma olhada para o lado pode colocar tudo a perder. Nessa corrida espiritual, o alvo é Cristo, é alcançar a perfeição ético-espiritual no Senhor.

            - para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus: um corredor quando vencia uma corrida, ganhava um prêmio, que poderia ser em dinheiro, uma coroa de louros, e diversas honrarias. Um prêmio só é dado no final da corrida. Assim também, Cristo (e a perfeição n’Ele), no final, deixa de ser o alvo e se torna o prêmio de todos os que estão nessa corrida espiritual! Enquanto alvo, nos esforçamos para alcançar. Enquanto prêmio, desfrutamos. Entretanto, na corrida espiritual, o alvo já é prêmio, pois é algo que já começamos a desfrutar na caminhada. De qualquer modo, tanto para começar a corrida quanto para alcançar o prêmio, em tudo somos dependente da graça de Deus.


15 Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá.

Parece um pouco estranho Paulo dizer que está se esforçando para ser perfeito, mas depois escrever “todos os que somos perfeitos”. Boa parte dos comentaristas nos informa que este termo também pode ser traduzido por maduro. Ou seja, é sinal de grande maturidade entender que precisa ter esse sentimento, qual seja, buscar a perfeição em Cristo. Entretanto, há que diga que a perfeição que o cristão pode atingir é uma espécie de “perfeição em evolução”, daí ser possível um desenvolvimento.


16 Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos.

Ou seja, é uma forma de Paulo dizer para continuar do ponto em que encontrar. Penso ser também uma forma também de dizer para não recuar.

1 – Não se conforme com o seu atual estado, pois sempre há possibilidade de melhorarmos ética e espiritualmente rumo ao padrão de Cristo.

2 – Ainda que Deus tenha um propósito em sua vida, é sua obrigação e responsabilidade trabalhar para que esse propósito seja aperfeiçoado. Focar, esquecer, avançar e prosseguir.

3 – Tenha sempre Cristo como alvo da sua vida.

4 – Trabalhe na expectativa de ganhar um prêmio pela sua caminhada.