Obreiros aprovados no Senhor: Timóteo e Epafrodito





19 Ora, espero no Senhor Jesus enviar-vos em breve Timóteo, para que também eu esteja de bom ânimo, sabendo as vossas notícias.
20 Porque nenhum outro tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide do vosso bem-estar.   
21 Pois todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus.   
22 Mas sabeis que provas deu ele de si; que, como filho ao pai, serviu comigo a favor do evangelho.   
23 A este, pois, espero enviar logo que eu tenha visto como há de ser o meu caso;   
24 confio, porém, no Senhor, que também eu mesmo em breve irei.


COMENTÁRIOS

19 Ora, espero no Senhor Jesus enviar-vos em breve Timóteo, para que também eu esteja de bom ânimo, sabendo as vossas notícias.

Assim como Paulo estava dando notícias a seu respeito aos filipenses, ele desejava mandar Timóteo a fim de saber mais notícias da igreja.
O que é interessante em Paulo é que, geralmente, quando estamos fragilizados ou tristes com alguma notícia, nós queremos atenção exclusiva. Queremos desabafar a nossa dor. Nosso sofrimento. De modo geral, as pessoas gostam de falar bastante de si mesmas, mas nutrem pouco interesse em ouvir o seu semelhante. Mas Paulo não é assim. Mesmo preso e sabendo que pode ser executado a qualquer momento, ele quer saber mais notícias acerca dos filipenses, e tem esperança de que, uma vez enviando Timóteo, poderá encontra-lo depois e saber mais a respeito da sua igreja amada.
Reflexão:
Você é uma pessoa que gosta mais de falar de si mesmo, ou você é uma pessoa disposta a ouvir?
Você é uma pessoa que já tem uma resposta para um problema que lhe é contado mesmo antes de ouvir totalmente, ou você é do tipo que ouve tudo primeiro e depois de pensar, dá o seu parecer?

20 Porque nenhum outro tenho de igual sentimento, que sinceramente cuide do vosso bem-estar.

Paulo conseguiu transmitir ao seu discípulo Timóteo esse mesmo coração pastoral. Não sabemos com quem Paulo estava exatamente o estava comparando. De qualquer modo, Timóteo era um irmão de destaque dentre os obreiros que acompanhavam Paulo.

É uma coisa muito bacana quando nós temos uma indicação, ou uma recomendação de alguém que consideramos importante. Isso demonstra nosso grau de dedicação e confiança que as pessoas depositam em nós.

Você já foi recomendado por alguém de respeito para alguma função? Você é uma pessoa considerada quando se trata de realizar alguma tarefa importante?



21 Pois todos buscam o que é seu, e não o que é de Cristo Jesus.

Aqui ainda não sabemos de quem Paulo estava falando quando comparado com Timóteo. Mas ele indica que, de modo geral, as pessoas, mesmo entre os obreiros que o acompanhavam, estavam mais preocupados com o seu próprio bem-estar, com o seu próprio interesse, do que com “o que é de Cristo Jesus”.

E o que é de Cristo Jesus? É a sua obra, o ministério, aquilo que Ele determinou que sua igreja fizesse. É o desenvolvimento do seu dom, o apoio aos irmãos, a obra de evangelização e pastoreio.

A maior parte parece não ter aberto mão de uma certa soberania pessoal. Algo do tipo “quero” ou “não quero fazer isso”, “quero ou não quero obedecer”. Elas não são “contáveis”. Elas deixam o trabalho difícil para outras pessoas. “Deixa que o outro faz, que o outro realizar, que o outro se responsabiliza”.

Mas Timóteo não era assim, pois ele buscava o interesse de Cristo em primeiro lugar.

Você pode dizer de si próprio que busca o interesse de Cristo em primeiro lugar em todas as coisas?


22 Mas sabeis que provas deu ele de si; que, como filho ao pai, serviu comigo a favor do evangelho.

Paulo reafirma aqui a sua confiança em Timóteo, mas não com base em uma opinião subjetiva ou um sentimento apenas. Paulo tem em vista fatos objetivamente considerados. Ou seja, Timóteo realmente deu provas concretas de sua fidelidade ao apóstolo Paulo e ao evangelho.

Ou seja, apesar de sermos todos irmãos em uma comunidade, é preciso ser considerado fatos objetivos para sabermos o nível de confiança e de responsabilidade que devemos colocar em uma pessoa. Uma pessoa que se esforça mais, realiza mais, acompanha mais terá muito maior chance de ser considerada como alguém de responsabilidade do que alguém que faz somente o que lhe der na cabeça.

Precisamos levar em consideração o fato de que Timóteo já acompanha Paulo há algum tempo. Como se diz por aí, já comeram muito sal juntos. O problema é que, não só no tempo do apóstolo, mas também hoje em dia parece que muitos começam bem sua caminhada, mas não conseguem perseverar.



23 A este, pois, espero enviar logo que eu tenha visto como há de ser o meu caso;
24 confio, porém, no Senhor, que também eu mesmo em breve irei.

Por tudo isso que acerca de Timóteo, Paulo reafirma seu desejo de enviá-lo assim que tiver uma novidade acerca de seu próprio caso, expressando ainda a confiança de que ele mesmo virá a ser liberto e poderá ir pessoalmente ver seus irmãos.


25 Julguei, contudo, necessário enviar-vos Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nas lutas, e vosso enviado para me socorrer nas minhas necessidades;   
26 porquanto ele tinha saudades de vós todos, e estava angustiado por terdes ouvido que estivera doente.   
27 Pois de fato esteve doente e quase à morte; mas Deus se compadeceu dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza.   
28 Por isso vo-lo envio com mais urgência, para que, vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu tenha menos tristeza.   
29 Recebei-o, pois, no Senhor com todo o gozo, e tende em honra a homens tais como ele;   
30 porque pela obra de Cristo chegou até as portas da morte, arriscando a sua vida para suprir-me o que faltava do vosso serviço.   

Paulo menciona que irá encaminhar de volta para a Igreja o irmão Epafrodito, que foi o enviado da igreja para servi-lo (ele levou uma oferta e ele mesmo foi oferecido como oferta). Nessa missão, ele chegou a ficar muito doente, às portas da morte, mas pela graça de Deus, ele foi curado, para alívio geral. O apóstolo deseja que ele retorne agora, o mais breve possível, para que haja alegria na igreja, e ressalta que foi pela obra de Cristo que ele chegou “as portas da morte”. Ou seja, Paulo não tem o problema de admitir que ao ser servido por Epafrodito, este estava realizando a obra de Cristo. Isso parece nos indicar que servir bem a um líder no Senhor é realizar a obra de Cristo, um tema delicado hoje em dia tendo em vista os abusos de autoridade que vemos por aí.


Há um indicativo também nesta passagem que era muito útil o trabalho que Epafrodito estava realizando a Paulo, mas esse prefere abnegar de tal serviço a fim de devolver logo o mencionado irmão aos seus, o que mostra o caráter despojado do apóstolo, que não buscava os seus interesses em primeiro lugar.

Postagens mais visitadas deste blog

Santificado seja o teu nome

Pai nosso que está nos céus