Filipenses 1.27-30 – Vivendo de modo digno do evangelho



27Não importa o que aconteça, exerçam a sua cidadania de maneira digna do evangelho de Cristo, para que assim, quer eu vá e os veja, quer apenas ouça a seu respeito em minha ausência, fique eu sabendo que vocês permanecem firmes num só espírito, lutando unânimes pela fé evangélica (N.V.I)


Paulo, da prisão, escreve aos filipenses, a fim de encorajá-los a permanecerem firmes no evangelho do Senhor.

Não importa o que aconteça

Ou seja, não importa se o apóstolo será solto, ou se irá morrer na prisão. Não importa se eles forem perseguidos ou puderem exercer em paz sua fé. Não importa absolutamente o que aconteça, há um mesmo padrão pelo qual o apóstolo espera que os filipenses vivam o evangelho.

exerçam a sua cidadania

Há uma discussão de que cidadania seria essa. Se seria a cidadania civil ou espiritual. Os filipenses tinham orgulho da cidadania romana, mas a mais importante é a espiritual. Mas a segunda não pode servir de desculpa para não se cumprir bem a primeira.

de maneira digna do evangelho de Cristo

Ou seja, se há uma maneira digna, também há uma maneira indigna. Precisamos conhecer o evangelho para saber o que isso significa.

Afinal de contas, o que é mesmo o evangelho?

O evangelho é a boa nova da salvação em Cristo Jesus. Tudo no evangelho diz respeito ao Cristo. Seu nascimento, sua vida, sua morte e ressurreição em favor dos pecadores. Jesus dando a sua vida para nos salvar, levando sobre si os nossos pecados e purificando para o Pai um povo santo.

Assim sendo, sabedores que Deus enviou o seu Filho para salvar o seu povo dos seus pecados, significa que um modo digno de viver o evangelho necessariamente tem que levar em consideração a nossa renúncia ao mal. De qualquer modo, não se trata somente de uma ação negativa, de renúncia ao mal, conforme continua Paulo:

para que assim, quer eu vá e os veja, quer apenas ouça a seu respeito em minha ausência, fique eu sabendo que vocês permanecem firmes

Ou seja, independentemente da presença ou ausência de Paulo, a igreja deve permanecer firme, fiel, na luta pelo evangelho.

Paulo esperava voltar novamente a ver aqueles irmãos, mas caso isso não ocorresse, eles deveriam permanecer fiéis.

Por mais importante que seja um determinado líder, o povo deve permanece fiel a Deus, independentemente de sua presença.

Um líder tem que ser sábio o suficiente para levar o seu povo a ter uma fidelidade para com o Senhor, mesmo em sua ausência.

num só espírito, lutando unânimes pela fé evangélica

Paulo espera que a igreja esteja unida no mesmo sentimento, no mesmo espírito, com um mesmo objetivo, ou seja, em unidade.

A maior razão de estarmos juntos enquanto igreja é estarmos unidos lutando pelo mesmo objetivo e ideal, qual seja, a fé evangélica.

E o que é essa fé evangélica? É uma fé que se alicerça no evangelho, que o promove, que o ama, que o entrega assim como o recebe, puro, santo.

A ideia é que todo o povo de Deus estivesse lutando para promover esse evangelho. Anunciando a todos que Jesus viveu, morreu e ressuscitou para nos salvar, e conclamar toda a sociedade ao arrependimento. Se a igreja hoje não estivesse tão dividida, disputando suas diferenças, é provável que nossa mensagem tivesse mais eficiência. Isso não é viver de modo digno, infelizmente.

28sem de forma alguma deixar-se intimidar por aqueles que se opõem a vocês. Para eles isso é sinal de destruição, mas para vocês, de salvação, e isso da parte de Deus;

Que adversários são esses? Podem ser judeus, podem ser gentios. Podem ser inclusive maus obreiros. Fato é que o evangelho sempre possuiu, e continua possuindo seus adversários. E em alguns momentos, tais inimigos querem colocar medo na igreja.

De fato, é muito provável que em contextos de perseguição, os cristãos sentissem medo. Até hoje, em alguns países do mundo, deixar a religião oficial (geralmente muçulmana) e se tornar cristão pode redundar em prisão, ou mesmo morte.

Mas Paulo determina que cada qual deve continuar firme, sem se deixar intimidar, ou seja, com coragem. A igreja deve continuar avançando!

Este texto também confirma a diferença de futuro escatológico entre os da fé e os inimigos do evangelho. Para os inimigos, a oposição ao evangelho é sinal de perdição. Para o cristão, sinal de salvação. Ou seja, ser perseguido e resistir frente aos adversários é um sinal de salvação. Para os cristãos o mundo não se divide em esquerda ou direita, progressistas ou conservadores, socialistas ou liberais, pobres ou ricos, palmeirenses e corintianos, e assim sucessivamente. Se divide entre adversários ou amigos do evangelho.

Interessante Paulo mencionar que tal oposição ao evangelho é para os seus inimigos sinal, evidência de “destruição”. Aqui, tal termo é o oposto de salvação. Alguns argumentam com base nesse versículo uma doutrina conhecida como “aniquilacionismo”.

29pois a vocês foi dado o privilégio de não apenas crer em Cristo, mas também de sofrer por ele, 30já que estão passando pelo mesmo combate que me viram enfrentar e agora ouvem que ainda enfrento.

Crer em Cristo é um privilégio. Mas não foi somente esse privilégio o dado aos crentes, mas também o padecer, sofrer por ele. Isso é um privilégio para os cristãos, tendo em vista que foi o mesmo caminho que o próprio Jesus seguiu, o do sofrimento.

O combate que Paulo enfrentou e que eles mesmos estão a enfrentar pode ser tanto uma ação dos judaizantes com dos próprios gentios que faziam oposição ao evangelho. Não podemos nos esquecer que quando Paulo pregou em Filipos, foi preso juntamente com Silas.

Em alguns círculos cristãos, onde o evangelho é proibido, eles até estranham o fato da possibilidade de existir algum tipo de evangelho sem perseguição. Em certas ocasiões, eles até se compadecem dos cristãos que não padecem perseguição declarada, pois entenderam o que é ter esse privilégio.

Resumindo, podemos dizer que Paulo exorta seus leitores a viverem dignamente o evangelho: 

a)   Sendo firmes no Senhor, independentemente da presença ou não do apóstolo; 

b)   Sendo unidos nessa batalha pela fé do evangelho; 

c)   E com coragem frente aos adversários do evangelho.

Que possamos viver de modo digno do evangelho de Cristo!