O nosso parâmetro de perdão

Leitura: Mateus 18.21-35
Por Rodrigo Farias
O capitulo 18 de Mateus traz o discurso mais longo de Jesus sobre o princípio do perdão.
Esse é o último grande discurso de Jesus antes de sua viagem a Jerusalém.
Ele foi mencionado por Jesus em resposta à a percepção que teve dos ciúmes que os discípulos tinham uns dos outros e para prepará-los para a crucificação.  Era algo que eles deveriam perdoar. Marcos 9:33 nos revela que esse discurso foi em casa, provavelmente na casa de Pedro.
Mediante a um breve estudo que fiz referente a dívida desse servo que o Senhor Jesus menciona diz que 10 mil talentos eram equivalentes à trezentos e cinquenta toneladas. Se for de prata, são 120 milhões de dólares, se for de ouro 8 bilhões e meio. Isso significa que a situação daquele homem era desesperadora.
Mediante essa parábola contada por Jesus nosso Senhor, podemos tirar algumas lições fundamentais para uma vida que revela que está cheia de Deus e santifica seu nome:
1 – Aprendemos o parâmetro que devemos perdoar os outros: A referência vemos em Mateus 6:12 - a oração que nosso Senhor Jesus nos ensina: Perdoa nossas dividas assim com o perdoamos os nossos devedores.
Isso é muito sério, pois estamos na presença do Deus soberano que sonda nossos pensamentos e intenções, pendido para que nosso Pai nos perdoe porque é isso que fazemos com aqueles que nos insultam, nos perseguem, etc.
Já é grave quando mentimos para nosso próximo, imagine mentir para nosso Pai Celeste que sabe de todas as coisas. Muito sério, pois quando entramos na presença do Deus Altíssimo devemos ter total reverência, temor e respeito.
2 – O versículo 35 nos adverte nesse estudo: Se não perdoamos de coração o nosso Pai Celeste também não nos perdoara! 

O Senhor Jesus nos revela um exemplo que se tratava de uma dívida impagável!
O Mestre queria e quer que seus discípulos entendam acerca do perdão.
Deus nos perdoou algo que para nós era impossível ser pago. Aqueles que creram e creem que Cristo pagou nossas dívidas que nos condenavam a morte eterna na Cruz do calvário, aqueles que convidam o Senhor Jesus para morar em sua vida, são perdoados para sempre! Em Salmos 103:12 o salmista nos traz um exemplo a respeito do perdão do nosso Pai Celeste e diz assim: E como o oriente está longe do ocidente, assim Deus afasta de nós nossas transgressões. Hb 8:12 - Porque eu lhe perdoei a maldade e não me lembro mais de seus pecados.
3 - Aprendemos que como cristãos obedientes a Deus e que O ama acima de todas as coisas, também temos que amar nosso próximo assim como nos amamos:
Quando sabemos que pisamos na bola com Deus, nos arrependemos e pela fé cremos que Ele nos perdoou, logo em seguida mesmo um pouco chateados continuamos a nos cuidar, nos alimentando, tomando banho, descansando, etc. E dessa forma também devemos continuar a cuidar daqueles que nos ferem, insultam...
Um pouco antes no v.21 Pedro pergunta a Jesus se era 7x que deveria perdoar e Jesus responde que não seria 7 mais 70x7.
No antigo testamento quando se vivia debaixo da lei esse termo 70x7 era usado para fins de vingança (Gn 4.24b), mas na nova aliança com nosso Senhor Jesus inverte, 70x7 passa ser o padrão de perdão e relevância: Graça!
Mediante essa palavra podemos chegar a uma conclusão e um grande desafio para vida de um cristão cheio do Espirito Santo de Deus: A evidência de um cristão apaixonado por Deus será revelado através de seu relacionamento com o seu próximo feito a imagem e semelhança do Pai. Isso nitidamente identificará a pessoa de Jesus Cristo na vida desse cristão. Será um ser humano apto a perdoar, sendo a sua única forma que sabe viver por estar cheio de Deus e levará as pessoas a sua volta a terem curiosidade de conhecer o Cristo que fez isso na vida dele! Santificará o nome de Deus!