Características de uma vida frutífera

Resumo da mensagem ministrada por Simone França

Leitura: João 15.1-11

No Antigo Testamento, Israel era considerada uma videira plantada por Deus, mas que nem sempre dava os frutos esperados (Jeremias 2.21). Neste texto de João, Jesus é a videira, e os seus discípulos os ramos que devem dar os seus devidos frutos. Vamos nos concentrar especificamente nas características de alguém que dá fruto para o reino.

Em primeiro lugar, vemos que a vara que está em Cristo e que dá fruto é uma vara limpa pelo próprio Pai: “Todo ramo que estando em mim, não der fruto, ele o corta, e todo o ramo que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda” (vers. 2). Limpa nos remete a santidade, pureza, que nos ensina nosso Senhor. E ele nos diz que é a palavra que nos limpa: “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado” (vers. 3). Ou seja, é a palavra de Cristo que nos purifica. Alguém frutífero então é aquele que foi limpo pela palavra, daí a importância de sempre estarmos ouvindo, guardando e praticando a Palavra de Deus.

Também dará fruto aquele que permanecer em Cristo, como ele diz: “permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós os ramos. Quem permanece em mim, e eu nele, esse dá fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (vers. 4-5). Ou seja, o fiel que dá fruto é aquele que permanece em Cristo, unido a Cristo, e que reconhece a sua dependência dele para produzir algo que realmente possua algum valor espiritual. Nós só produzimos algo enquanto canal de benção usado por Cristo para frutificar. A analogia da videira deixa isso bem claro quando diz que somos apenas varas ligadas à verdadeira videira, que é ele, Jesus. Por isso precisamos, além da fé em Cristo, nos dedicarmos à sua Palavra, ao convívio com uma comunidade de fiéis, a uma vida de oração, pois somente assim frutificaremos. A opção para quem não permanecer em Cristo é secar e ser lançado no fogo, pois não produzirá mais fruto, e será lançado fora (vers. 6).

Será frutífero aquele que viver uma vida que glorifica a Deus, pois Jesus nos diz: “Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornarei meus discípulos” (vers. 8). O desejo de viver uma vida frutífera tem como intenção primordial dar glória ao Pai. Glorificar o Pai é viver para sua honra, para o seu louvor, e engrandecimento de seu nome. Não é como glorificar um ser humano, pois é na glória de Deus que reside toda felicidade humana. Quanto mais Deus é glorificado, mais plena será a vida do discípulo fiel. Quem quiser viver para a glória de Deus será frutífero para Ele, afinal Jesus disse: “Tenho vos dito essas coisas para que o meu gozo esteja em vós, e o vosso gozo seja completo” (vers. 11).

E finalmente, o propósito de alguém frutificar na presença de Deus é para que “este fruto permaneça” (vers. 16). Ou seja, não é algo passageiro, emocional, mas sim algo que ficar para a eternidade. Por isso todo o trabalho no Senhor deve ser realizado nessa expectativa, de que será um fruto que ficará para a vida eterna. Esse fruto que permanece é o caráter de Cristo em nós, as pessoas que evangelizamos e discipulamos para Deus, e as boas obras que realizamos em Deus. Que todos esses frutos possam permanecer em nossas vidas.

Postagens mais visitadas deste blog

Jesus, o nosso exemplo de humildade!

Murmuradores

Santificado seja o teu nome